terça-feira, 14 de dezembro de 2010

"Medo, que dá medo do medo que dá..."

Vai chegando o final do ano e aquele sentimento de retrospectiva nos passa a cabeça. É inevitável lembrar-se do ano que passou. Das coisas que deram certo, das que não deram e de tudo mais que se passou.

Olhando agora, vejo tanta coisa que passou ai que aperto no peito. Ano que vem não tenho idéia onde vou estar e o que vou fazer. Mais olhando para 2010, valeu a pena.

De tristezas e alegrias meus dias foram traçados, muito do que aconteceu não tive chance de decidir. Nem sempre nossas vidas estão em nossas mãos!

O último ano da faculdade passou mais rápido e turbulento que imaginei, terminar isso tudo não foi fácil, mais nem por isso deixou de ser divertido! A Saudade já aperta o peito e a tristeza é inevitável. Onde os melhores amigos de uma vida vão estar amanhã? Vou agüentar ficar longe deles?

E por falar em despedida, esse ano foi o mais triste que já vivi até agora. Minha vó, minha vida, minha guia. Se foi para longe, muito longe, já não está perto de mim. Ou está, de maneira diferente, mais não menos importante. É muito amor para acabar junto com a vida.

E por falar em vida, esse foi um ano muito feliz também. Tia pela segunda vez, madrinha pela primeira. Família como sempre.

E agora tudo se acaba, com o coração apertado digo adeus a minha casa, a meus amigos, ao meu emprego. Vida nova que se segue, medo que aparece, futuro que se faz.

“Só o que é bom dura tempo o bastante para se tornar inesquecível...”

Lágrimas...

quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

"Aqui onde as horas não passam..."

"Às vezes acho
Que eu fiquei louco
Me dando conselhos
Até ficar rouco
Às vezes acho
Que perdi a memória
Contando de novo
A mesma história...

Aqui onde as horas não passam
Aqui onde o Sol não me vê
Aqui onde eu não moro..."

Tempos dificeis, a história muda, o momento é outro. Entre ir e ficar, eu travo! Paro e não sei para onde ir.

Sem ter a minima idéia do que fazer e para onde ir.

De repente ficar é insuportável e ir é loucura. A vontade é sumir, desaparecer, ou dormir uns 3 anos até tudo passar e se resolver.

“A vida não é tão fácil quanto eu pensei que era...” A vida nem é de verdade como devia ser.

As coisas acontecem fora do meu controle, a hora passa, os dias voam e eu aqui, sem saber o que fazer.

Já não tenho um lar. Nem lá nem cá. Já não tenho pra onde ir, nem pra onde voltar...

O que fazer?

O importante é ir a luta?

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

"Será que temos esse tempo para perder..."

A vida é engraçada, ela passa pela gente quietinha e a gente nem percebe. Ela passa e leva nossos amigos pra longe, nossas avós pro céu, nossos dias pra Deus sabe onde... E nós, como ficamos nisso tudo?

Corremos tanto pra dar conta do dia, do serviço, da faculdade, da família e tudo mais. Às vezes esquecemos de cuidar do mais importante, de nós. Não estou dizendo que devemos ser o centro do universo, mais se não cuidarmos de nós mesmo, quem irá cuidar?

É.... as vezes a vida passa mais rápido do que gostaríamos

A gente acorda num dia e puf, aquela amiga que você não vê a anos, precisou de você, e você não estava lá, e quando você para pensar da última vez que a viu, susto....já faz um ano.

E aquela outra que casou, onde será que está... puf, ela está grávida, e você não está lá para comemorar com ela, nossa nasceu, e onde eu estava... longe.

Ai que saudade!

Saudade do tempo que eu tinha tempo.

Agora, ando tão na correia que não consigo fazer nada certo, virou um fardo em minha vida, ou eu faço as coisas 2 vezes ou as estrago de vez... e a culpa é de quem? Só minha.

Pelo menos em momentos de sábados a noite, a sempre algo a fazer, uma baladinha de leve para esquecer dos problemas, dos castigos, das pisadas em falso, ou seja, esquecer que a vida passa!

terça-feira, 5 de outubro de 2010

"Eu faço tudo pela metade..."

Ai, não sei mais o que pensar, faltam exatamente 2 dias para o meu aniversário e estou me sentindo a pior pessoa do mundo. Não pela idade que isso nunca me incomodou, mais pela pessoa que me tornei...


Se eu não fosse eu, não seria minha amiga. É desgastante gostar de mim, eu sei, mais mudar não é fácil.

Sei exatamente onde erro, e não consigo consertar... O grande problema é que a consciência só vem depois, da palavra, do gesto da ação.


Eu queria, no fundo no meu peito encontrar pontos positivos, queria encontrar meu dom, minha dádiva, meu diferencial


Eu queria ser diferente...


Essa mania boba de se preocupar com tudo, de querer mudar o mundo, de querer resolver se mistura com a incapacidade de fazer as coisas certas da primeira vez. Resultado -> muito mais trabalho, stress e resultados medíocres!


“Hoje eu só quero que o dia termine bem, hoje eu só quero que o dia termine...”

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

"But I can't help it if I'm just a fool..."

A vida não é justa!!

Dãr! Certeza que pensaram “agora que a lerda descobriu?!?!”

Não é isso gente, eu já sabia, mais é que as vezes acontecem coisas que te fazem lembrar disso. Uma delas se chama Homens!! Ou melhor várias delas!!

Eu desisti, nem meu pai entendo mais...ô raça complicada, depois falam que mulher que é difícil de entender. Vou explicar uma coisa, não é assim que a banda toca...

É fácil entender uma mulher! É oferecer carinho, respeito, amor, amizade, compreensão e paciência. É falar coisas engraçadas nos momentos certos, dar um abraço de conforto nos momentos de dor. E conversar sério quando preciso for.

Vai não é difícil assim. É só não nos deixar falando sozinhas, entender a TPM, não falar de boca cheia e sempre tomar banho. É fingir que se importa com o que estamos falando e responder durante a conversa... principalmente se for discussão....

Agora que falei de nós mulheres, vamos falar dos verdadeiramente complicados. Já perceberam que aquele cara legal que seria um ótimo namorado. Aquele que você o imagina na sua sala conversando com seu pai numa festa de aniversário de criança. Esse cara nunca te da atenção, é que ele não sabe como agir, te ignora ou te trata como uma boa e velha amiga.

De tantas bolas foras que você leva, você desiste e sai com o coração esmagado e em pedaços por aí, se sentindo o famoso coco do cavalo do bandido. Nessa hora você está meio irracional, carente e precisando de carinho. Eis que surge o tipo perigoso. Aquele que você sabe que não está nem ai para você, mais você já foi tão ignorada que se esquece (ou finge) que ele não vale nada.

Justo ele, sabe o que falar, como te abraçar e como te fazer a pessoa mais importante do mundo. Você sabe que é mentira, mais você sofreu tanto que prefere esquecer a razão, e depois de muito resistir, você resolve dar um beijinho e nessa hora, o babaca do cara legal vê tudo, e lembra que gosta de você.

É...... a anta lembra de como você foi legal, de como ajudou no momento difícil... Ele lembra dos conselhos que você deu, lembra que você ria das piadas sem graça.... Lembra de como o clima era leve, gostoso e incrivelmente apaixonante...

Ele devia correr atrás.... mais não, a anta desiste.... e depois ainda reclama que as mulheres só se apaixonam por vagabundos
QUER SABER, A CULPA NÃO É NOSSA!!!!!!!!!
Ah, cansei de verdade!! o cara legal só gosta da menina de escova e saia secretária, o canalha não quer nada sério, o amigo só quer chorar no seu ombro... ô povinho complicado....
Desisto....
"Já me acostumei com a insegurança, de quem não quer sofrer"

sábado, 25 de setembro de 2010

"Não sei por que você se foi..."

"Naquela mesa ela sentava sempre
E me dizia sempre o que é viver melhor
Naquela mesa ela contava histórias
Que hoje na memória eu guardo e sei de cor
Naquela mesa ela juntava gente
E contava contente o que fez de manhã
E nos seus olhos era tanto brilho
Que mais que sua filha (neta)
Eu fiquei sua fã
Eu não sabia que doía tanto
Uma mesa num canto, uma casa e um jardim
Se eu soubesse o quanto dói a vida
Essa dor tão doída, não doía assim
Agora resta uma mesa na sala
E hoje ninguém mais fala do seu bandolim
Naquela mesa ta faltando ela
E a saudade dela ta doendo em mim"

(Sérgio Bittencourt)

sábado, 28 de agosto de 2010

"I wish that I could see you again..."

Engraçado que a vida muda, as coisas acontecem sem a gente saber. Algumas semanas atrás eu escrevi que estava triste mais não sabia o que era tristeza de verdade. Hoje dou risada das minhas lamentações bobas.

Engraçado que as coisas perdem o sentido quando coisas maiores acontecem.

A única certeza que eu tenho agora, depois de tudo, é que quando o adeus é para sempre a dor é muito maior, a saudade é infinita e a vida fica sem sentido.

Quando o adeus é para sempre a gente tem que reaprender a viver, a gente tem que conviver com a dor em todos os momentos, e é a dor mais dolorida que já senti.

Agora não me resta muitas opções apenas tentar lembrar com mais saudade e menos dor e tentar seguir em frente.

Saudades

terça-feira, 10 de agosto de 2010

"Porque metade de mim é o que eu grito..."

A vida da voltas, tudo passa, a vida ensina..... Há tantas teorias e filosofias de banca de jornal que nos cercam cada vez que nosso mundo cai. É engraçado que as vezes o q você quer escutar é o silencio e não o apoio daqueles que usam de frases feitas “pra te animar”.

Já dizia Renato Russo “Quando tudo está perdido sempre existe uma luz... Mais não me diga isso, não me dê atenção, e obrigado por gostar de mim”

O mundo é estranho, a tristeza parece não poder existir. Não que sofrer seja uma coisa saudável, mais é algo inevitável, que uma hora ou outra acontece. A vida vai a vida vem e a tristeza é conseqüência dos nossos atos.

Ah! Se a gente soubesse que certos atos levariam a merdas absurdas, seria mais fácil viver. Mais uma fala errada, um momento que passa, tudo isso vira merda no ventilador. E a gente não sabe como voltar atrás.

É tanta coisa que acontece, ou que não acontece, que a gente fica mais perdida que cego em tiroteio. E o que mais machuca no momento é que a vida ta passando e eu aqui, parada, na minha vida mais ou menos de sempre.

Nem rica, nem pobre. Nem magra, nem gorda. Nem branca, nem negra. Nem triste, nem feliz. Nem realizada, nem fracassa. Nem amada, nem odiada.

Uma vida de meio riso, meio amor, meia vida. Nunca por inteiro. Sempre o copo meio vazio ou meio cheio. Nunca transbordante, nunca por inteiro.






Dica: ouça Metade - Oswaldo Montenegro

sábado, 26 de junho de 2010

"Minha metralhadora cheia de mágoas..."

Mais uma vez o dever me chama e me cansa. A responsabilidade das provas finais e outras coisinhas mais me deixam tensa!

As vezes a gente só quer parar e dormir! Dormir um dia inteiro, e acordar com a certeza que tudo já passou!

Cansei dessa vida que a gente luta e não chega em lugar nenhum. Por que só as pessoas que não merecem conseguem ir mais longe? Cansei e ver pessoas que pisam em outras, são falsas e aproveitadoras se dando bem! Cadê a justiça desse mundo??

Será que ainda vale a pena lutar? Brigar pelo correto? Tentar melhorar?

Eu que sempre sigo o certo, que defendo os outros, que não aceito qualquer coisa, só me dou mal! Dia após dia gente como eu luta por uma vida melhor e o que a gente ganha em troca?

Ah! Eu sei, a gente ganha a oportunidade de ver aqueles que não merecem se dando bem, a oportunidade de ver a impunidade ser recompensada. A gente ganha a certeza de que nada que a gente faz vale a pena.

Sabe, agora cansei de verdade. Parei de sonhar e esperar dia melhores. Há pessoas que não nasceram para ele.

Não estou falando que eu sou perfeita! A próxima Madre Teresa de Calcutá! Só estou falando que os pequenos atos de gentileza, educação, compaixão e gratidão foram esquecidos. Tornaram-se brega de repente. E o que vale não é mais o que você é, mais o quão falso você é!

Uma coisa que aprendi a duras penas: Manipule os outros se quiser algo. Honestidade está fora de moda! Igualdade já não é mais chique. Os puxa-sacos serão recompensados!

Agora, se você é igual a mim, assim normal, que acredita nas pessoas, as ajudas e não admite puxar o saco de ninguém, desculpe amigo mais tenho que te dizer, as chances de ir longe são poucas. Hoje é valorizado aquele que acredita que é melhor que os outros, e passa por cima sem dó!

E esse foi mais um desabafo.


video

segunda-feira, 7 de junho de 2010

"Eu vou sobrevivendo sem nenhum arranhão..."

Oi, Boa noite! Nossa, como o tempo passa. Me distrai um pouco e puf! o dia acabou!

Ai!! Não lavei roupa... de novo! Ih, esqueci de passar na academia.... putz, num liguei pra casa...

E são tantas coisas que esqueço!! O texto pra formatura que ainda não escrevi, a prova de B2B e tantas outras coisas!!

Mais tá frio... e agora??

É tarde, vai dormir!

O frio congela minhas mãos, e meu cérebro, ou célebro como dizia qdo era criança e feliz!!!

Ah! para tempo, um pouquinho só! pra por minha vida em dia!!

Quer saber a verdade! Boa noite! Vou dormir, que amanhã o dia é longo e começa cedo... bem cedo, como sempre!

segunda-feira, 17 de maio de 2010

"Cada qual com o problema que lhe convém..."


Bem vindos ao fabuloso mundo das dicas e conselhos sentimentais. As vezes me impressiono com a qualidade dos conselhos que dou a outrem. Amor, família e tudo mais. Falo até do que não entendo e no fim realmente ajudo.

As vezes sou dura demais com quem não merece, pois apesar de seu uma boa amiga-conselheira, acabo sendo um pouquinho impaciente. E tenho a estranha mania de falar o que penso, e não o que as pessoas querem ouvir.

Lembro das meninas que moravam comigo falando que eu sempre passava a impressão que tudo tinha solução, e que isso acalmava.

Mais não falo isso me gabando não, falo isso me sentindo uma grandessíssima IDIOTA...

Por que resolver os problemas dos outros é tão mais fácil que resolver nossos próprios problemas?

Vai ver é a visão de fora que facilita as coisas, ou quem sabe a ausência de emoção, quando não é com a gente, é muito mais fácil agir com a razão.

A única coisa que eu tenho certeza é de que se eu me ouvisse, eu estaria melhor. Se eu ouvisse apenas 50% das coisas que eu falo, eu não estaria nesse desespero todo.


Alguém tem um bom conselho aí??


Vai entender!


Mais uma coisa é certa, precisou de conselhos, me procure!

quarta-feira, 12 de maio de 2010

"Nós só precisamos ir..."

Puedo hablar en español or in English. Je Parle aussi le français. Pero lo que tengo a hablar no es facil para nadie. Sometimes we should only think about.

Até em português às vezes é difícil achar alguma palavra que se encaixe, que descreva o que queremos. Às vezes as coisas vão acontecendo, atropelando a lógica e simplesmente ignorando o bom senso.

É engraçado como as coisas mudam e as pessoas também. Como nossa esperança meio que se perde no caminho, ou se transforma. Essa semana eu percebi que não somos influenciados apenas pelo que nos acontece, mas muitas coisas que não acontecem podem nos influenciar também, e muito!

Sonhos meio que perdidos, mudados pelo destino, desistir, continuar ou mudar? Alguém me mostre o caminho, pois cansei de procurar. Cansei de não chegar a lugar nenhum. Cansei de procurar.

Este ano me vi sozinha pela primeira vez. Sem chão, sem lar, sem lugar para voltar. A sensação foi horrível e se perpetuou por muito tempo. Para falar a verdade nem se foi ainda, está aqui, no cantinho, martelando minha cabeça, me distraindo.

Certa vez alguém me disse que a gente é sozinho nesse mundo. Por mais que tenhamos muitas pessoas ao redor, no fim, na hora que enrosca, “estamos sós e nenhum de nós sabe exatamente onde vai parar”

Nunca tinha acreditado nisso, mais agora entendi. Não falo de amor, marido, namorado. Falo de companhia, amizade, família. Por mais que eles estão perto, algo me diz que eles não estão tão perto assim. Talvez o mundo moderno tenha nos ensinado a não ouvir e só falar. E nessa, eu que sou quieta e tímida, esqueço-me de falar de mim e ouço mais que devia.

É complicado se dar demais sem receber. Não que eu cobre, mais as vezes não quero ouvir, quero falar, mais ninguém parece se interessar. Como uma velha ranzinza fico reclamando da vida sem resolver. E a grande pergunta é “o que o mundo tem a ver com isso?”

A resposta vem simples e rápida: NADA. Por isso o sentimento de solidão. Quero só ficar sozinha, sem falar, sem pensar sem fazer nada. Mais por que é tão difícil?

quinta-feira, 22 de abril de 2010

"This is not what I had planned..."

Respira fundo 1....2....3

Alguma coisa está fora do lugar.... Lugar?? Qual meu lugar??? Chão?? Cadê meu chão.

Minhas raízes se desmancham como bala de coco...


A cabeça a mil, e as idéias perdidas entre sei lá o que. A certeza de ser sozinha sem querer estar. A idéia de que se perdeu muito nessa vida. As lágrimas que caem meio sem motivo, meio para atrapalhar.

Dever... dever .... dever


Só quero parar e chorar, chorar o fim próximo de quem se ama, e o próximo fim que encontrar. Chorar a falta o excesso, o vazio e o cheio.

Chorar ao lembrar dos olhos cansados e doloridos de quem já sorriu tanto. Chorar lembrando dos olhos conhecidos que agora me ignoram de maneira seca. Lembrar dos olhos alegrinhos que não consigo ver. Lembrar dos olhos cansados de quem quer apoio.


Por que a gente perde tanto nessa vida?? Cadê as promessas e aquela idéia de que era um absurdo se afastar. Para quem sabia tanto, hoje o telefone é seco e a vontade de se ver se perde. As lágrimas caem de novo.

Segura menina, você já cresceu. Era assim que era para ser. Só! Só você não percebeu o que aconteceu... Só você espera algo novo e não age.


Para menina! Para de chorar, enfrenta a vida sai da casca. Eu sei que você não sonhava assim, mais aconteceu. Eles se foram, você ficou, você foi, eles voltaram. “A vida é a arte do encontro, embora haja tantos desencontros nessa vida...”

Grita menina, canta, chora, berra!!! Ninguém ouve mesmo.... chora menina.... mais chora como se fosse a última vez.... isso não pode continuar.

Respira, finge que tá tudo bem. É assim que se vive, se você não faz bem para você, ajude os outros pelo menos. Respire mais fundo... não tá adiantando....

A verdade, já não sei mais, vira pro canto, dorme, que amanhã é outro dia.

sábado, 17 de abril de 2010

"So, where am I now?"

Semana tensa, cheia de raiva, trabalho e dor de garganta, daquelas que não se fala, não se come não se vive. Até se esquece do sábado perfeito, que parece que foi a tanto tempo, e na verdade foi só uma semana.

Mais tô aqui para falar de uma descoberta. Uma amiga minha fez um blog que eu acho interessantisso todo mundo ler.

A vida de uma recem formada e todo o processo até conseguir um emprego. Formados, graduandos e até quem não entrou na faculdade deêm uma olhada.

http://minhavidaderecemformada.blogspot.com/


É uma fase muito difícil para todo mundo, temos todos os sonhos e pouca experiência. Temos a certeza que podemos fazer tudo, mais parece que ninguém acredita.


Mais eu sempre acredito que a nossa hora chega sim. Tanto esforço na faculdade, tantos planos e ações que fizemos durante esses anos para formar quem somos. E tenho certeza que somos melhores que aquele tipo de pessoas que eramos.


Crescemos, aprendemos a viver sozinhos, sem depender de ninguém. Estudamos, nos formamos como profissionais. Aprendemos a ver a vida de maneira crítica, a não aceitar qualquer coisa, a questionar, a buscar nosso lugar no mundo. A levanta a cabeça toda vez que alguém tentar nos colar par baixo.
Eu tô quase lá, estágio sem muita chances de efetivar, dei a sorte de minha empresa ser vendida.... dúvidas e incertezas e tudo mais...


A Taty eu conheço bem, dividimos a Rep com a agora Européia VÊ, e nos demos muito bem. tenho certeza que no blog dela todos vamos encontra muitas dicas, do que fazer do que não fazer, e principalemente como agir.


Tenho certeza que as experiências delas vão nos ajudar também, a passar por essa fase complicadissima!!!


Boa sorte Taty!!! nos processos, na vida, no blog!

domingo, 4 de abril de 2010

"Deus santo, Deus forte, Deus Imortal..."

É Páscoa! É algo muito maior do que eu, apesar de sentir muito, não escreverei nada, seguem 2 músicas que marcaram minha Páscoa
Povo meu, que te fiz eu?

1. Povo meu, que te fiz eu?
Dize: em que te contristei?
Por que à morte me entregaste?
Em que foi que eu te faltei?

2. Eu te fiz sair do Egito,
Com maná te alimentei.
Preparei-te bela terra:
Tu, a cruz para o teu Rei!

Refrão: Deus santo, Deus forte,
Deus imortal,
Tende piedade de nós!

3. Bela vinha eu te plantara,
Tu plantaste a lança em mim;
Águas doces eu te dava,
Foste amargo até o fim!

4. Flagelei por ti o Egito,
Primogênitos matei;
Tu, porém, me flagelaste,
Entregaste o próprio Rei!

Refrão: Deus santo, Deus forte,
Deus imortal,
Tende piedade de nós!

5. Eu te abri o mar Vermelho,
Tu me abriste o coração;
A Pilatos me levaste,
Eu te levei pela mão.

6. Só na cruz tu me exaltaste,
Quando em tudo te exaltei;
Que mais podia eu ter feito?
Em que foi que eu te faltei?

Refrão: Deus santo, Deus forte,
Deus imortal,
Tende piedade de nós!

Ninguém te ama como eu

Tenho esperado este momento
Tenho esperado que viesses à mim
Tenho esperado que me fales
Tenho esperado que estivesses assim

Eu sei bem que tens vivido
Sei também que tem chorado
Eu sei bem que tens sofrido
Pois permaneço ao teu lado

Ninguém te ama como eu
Ninguém te ama como eu
Olhe pra cruz,
Esta é a minha grande prova
Ninguém te ama como eu
Ninguém te ama como eu
Ninguém te ama como eu
Olhe pra cruz,
Foi por ti, porque te amo
Ninguém te ama como eu

Eu sei bem o que me dizes
Ainda que nunca me fales
Eu sei bem o que tem sentido
Ainda que nunca me reveles

Tenho andado ao teu lado
Junto à ti permanecido
Eu te levo em meus braços
Pois sou teu melhor amigo

Ninguém te ama como eu
Ninguém te ama como eu
Olhe pra cruz,
Esta é a minha grande prova
Ninguém te ama como eu
Ninguém te ama como eu
Ninguém te ama como eu
Olhe pra cruz,
Foi por ti, porque te amo
Ninguém te ama como eu

Feliz Páscoa!

terça-feira, 30 de março de 2010

"Por mais que o mundo dê voltas em torno do sol..."

Ontem a Lua estava cheia demais! Ontem, acho que ela foi a única coisa que era demais e que deu certo. A vida cheia demais me enlouquece, a preguiça demais me impede de retomar a forma que a comida demais me deu. As lágrimas demais caem já sem motivo e os sorrisos demais ficam reservados para poucas horas na semana.

A solidão demais me mostra o que eu não quero ver, pessoas demais pelo caminho me deixam atordoada. Trabalho demais me deixa cansada, faculdade demais me tira o sono. Tudo parecia demais ontem, menos a lua, que por mais que era cheia, era linda.

Na solidão de ser lua, ela ri da gente com a felicidade de quem não precisa acordar cedo para viver a vida. Mais também, na solidão de ser lua, não vive com a intensidade de quem sabe vive-la. Lá de cima sofre ao ver todos aqui na Terra sorrindo, cantando, chorando e o escambal.

Mais com a lua cheia, a vida cheia e a cabeça cheia, estava decidida a sair, correr até ficar sem fôlego, andar o mais rápido possível. E saí, sem rumo, na hora onde a pista de caminhada é a mais concorrida, e entre carros e pessoas, bicicletas e estudantes eu simplesmente fui. Com a música alta e a solidão de quem quer ficar sozinha, andei, andei, andei.

E fez bem... Às vezes a gente só precisa de um tempinho com a gente mesmo, sem ninguém pra dar palpite, sem pensar em muita coisa. Às vezes a gente só precisa andar, a toa, até cansar. Para depois voltar tudo como estava, mais sei lá, diferente.

Assim com a lua que a casa fase muda de rosto, a gente tem que mudar também, mudar para sobreviver,para viver mais feliz. Sem a mudança tudo se torna igual, monótono e extremamente chato. Saia da rotina as vezes, nem que seja mudando a marca do pão de forma. Mude seu caminho, arrumo novos amigos, aprenda coisas novas.

E depois de tudo isso aprendei que esse é o texto mais clichê que á escrevi... Logo eu, que odeio livros de auto-ajuda... É, a vida é assim....

domingo, 7 de março de 2010

"Nessa estrada não nos cabe conhecer ou ver o que virá..."

A vida tem um jeito estranho de passar. Indiferente. Não importa o que se passa, ela simplesmente passa, sem perguntar se você quer que ela passe. Além de indiferente as nossas vontades ela é meio cruel. Passa lentamente nos momentos de dor e tédio, e extremamente rápido nos momentos de amor e alegria. Como diz Vanessa da Mata “o tempo pirraça”.

Mais o que fazer para combater? Viver, e mostrar pra ela quem é que manda?? Esperar ela passar e lamentar por isso? Ou deixar a vida nos levar (“vida leva eu”).

Não adianta manter o discurso “eu vivo a vida intensamente” e blá blá blá. Todo mundo tem seu momento e seu modo de viver a vida. Livros de auto-ajuda não vão mostrar o melhor caminho... Viva do jeito que quiser.

Eu vivo com preguiça às segundas, intensamente as sextas, deixo ela me levar no domingo depois do almoço. Tudo depende do que estou fazendo e de quem está comigo. Não adianta as melhores companhias e os piores programas e o contrário.

Mais ultimamente tenho deixado ela passar, apática. Me sentindo meio sozinha, sem rumo, sem planos, sem um canto meu, onde eu me sinta em casa. Aquela sensação de música do Legião, meio que sozinha com muita gente. A casca da minha vida tem sido agitada... mais nem está tão assim.

Preciso parar e pensar, tentar fazer tudo certo dessa vez, ver o mundo de uma maneira diferente, sei lá, hora de mudar! Pra onde? Pra que? Como?

Ora quem é que não sabe
o que é se sentir sozinho
mais sozinho que um elevador vazio
achando a vida tão chata
achando a vida mais chata
do que um cantor de soul
sou eu quem te refresca a memória
quando te esqueces de regar as plantas
e de dependurar as roupas brancas no varal
só faz milagres quem crê que faz milagres
como transformar lágrima em canção
vejo os pombos no asfalto
eles sabem voar alto
mais insistem em catar as migalhas do chão
sei rir mostrando os dentes
e a língua afiada
mais cortante que um velho blues
mas hoje eu só quero chorar
como um poeta do passado
e fumar o meu cigarro
na falta de absinto
eu sinto tanto eu sinto muito
eu nada sinto
como dizia Madalena
replicando os fariseus
quem dá aos pobres empresta (2X)
adeus

(Blues do Elevador – Zeca Baleiro)

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

"I still believe it when you say...it's another perfect day..."

Sinto as férias acabando. A escrivaninha que a tempo pedia para ser arrumada, conseguiu o que queria, as caixas ainda da mudança, lotadas de lembranças e obrigações foram se esvaziam aos poucos. A preguiça do recomeço, a expectativa do reencontro, e aquele frio na barriga indicando que tudo isso está acabando.

“Daqui pra frente, tudo vai ser diferente” 2010 começou diferente, diferente dos outros anos e do ano que tinha imaginado. Meio que nada deu certo, mais foi bom. A virada foi uma bosta. Brigada com o mundo e mais um pouco. Mais passou. Férias?? Que férias... trabalho novo, expectativas sendo criadas de um futuro ao contrário do planejado. Mais estranhamento bom.

O carnaval tinha tudo para dar errado e deu...certo! Muito certo... Depois de Diamantina, Cabo Frio e praia miarem, um tal Bloco do Urso em Santa Rita me surpreendeu. Agora, com a tristeza de quem quer mais, e a alegria de quem aproveitou muito, volto a vida normal.

Vida esta que me deixa sem chão. Não sei mais o que pensar e o que desejar. Tudo o que planejo a muito tempo, deu errado. Não sei que expectativas ter ou o que desejar. Sinto-me em branco, esperando acontecer algo que ainda não sei o que é.

Sabe quando a gente quer que alguma coisa mude, mais fica tudo do mesmo jeito, mais diferente. As pessoas já não são mais as mesmas, a saudade dói doído. As pessoas envelhecem de maneira absurda, onde eu estava esse tempo todo. O sorriso já não é tão frouxo e o medo, aparece mais do que devia. As lágrimas sempre voltam a cair.

Não sei se parei de acreditar em mim, ou se me desacreditaram. Ou ainda se achava que eu era mais do que sou de verdade. Sei lá, já não sei se o que vivo é bom ou ruim, é certo ou errado.

I am unwritten, can't read my mind, I'm undefined
I'm just beginning, the pen's in my hand, ending
unplanned

Staring at the blank page before you
Open up the dirty window
Let the sun illuminate the words that you could not
find

E uma noticia ótima me deixa pensativa, Minha vó que estava operando está bem, e isso me faz chorar igual criança, pensar nela frágil me faz pensar que um dia ela vai embora e isso me atormenta. Ela está bem agora, e que fique assim para sempre. Não quero pensar nela de outro jeito. Por que as pessoas envelhecem? Por que a gente não percebe? Por que é tão duro tudo isso?

Ela está bem, e é isso que importa. Vai voltar feliz para casa em alguns dias. Ela é mais forte do que todos nós. A fibra de alguém que viveu uma vida para os filhos, para os netos, para a família. Exemplo de fé, força e amor, tudo com muita ternura e doces de cidra.